Notícias

É inadmissível que o reajuste dos salários e dos benefícios dos trabalhadores da Teleperformance ainda esteja indefinido, pois a data base da categoria é 1º de janeiro.

O Sinttel envidou todos esforços para negociar, inclusive buscando o apoio da Superintendência Regional do Trabalho. Uma única reunião foi realizada por vídeo conferência em março passado, mas daí para cá só “lero” da Teleperformance, que busca ganhar tempo e economizar às custas dos trabalhadores. CHEGA! REAJUSTE JÁ!

NA TELEPERFORMANCE PREVENÇÃO AO CORONAVIRUS É UMA CAIXA PRETA

Tão logo a OMS (Organização Mundial da Saúde) e os governos determinaram medidas em combate ao corona vírus, e apesar da Medida Provisória 926/2020 do Governo Bolsonaro, que desobriga a participação dos sindicatos na discussão da proteção à saúde dos trabalhadores, o SinttelRN procurou todas as empresas de telecomunicações e de teleatendimento para celebrar acordos coletivos emergenciais em prevenção à Covid-19.

O Sinttel já firmou acordo emergencial com todas as operadoras (OI, TIM, VIVO e CLARO), com a SEREDE (prestadora de serviços da OI), com o Contact Center Riachuelo e com a AeC. Somente a Teleperformance mantém as medidas preventivas trancadas à sete chaves numa caixa preta.

TELEPERFORMANCE: QUEM NÃO DEVE, NÃO TEME!

O Sinttel reitera à Teleperformance que pare de enrolação e responda claramente os questionamentos feitos:

1) quais os serviços prestados pela Teleperformance foram considerados essenciais para dimensionamento das medidas emergenciais de prevenção ao Coronavírus?
2) está assegurado o limite de 30% como efetivo mínimo, em cada turno, na prestação dos serviços essenciais?
3) quantos trabalhadores estão em home office?
4) qual a distância entre as PA’s em atendimento?
5) os instrumentos e equipamentos de trabalho (headset, microfone, mouse e outros) foram individualizados a cada trabalhador?
6) está disponível álcool gel para higienização frequente de pessoas nos grupos de PA’s, banheiros, salas administrativas, portarias, refeitório, áreas de armários e demais áreas comuns?
7) quais medidas foram tomadas afim de garantir a circulação do ar e controle da temperatura no ambiente de trabalho?
8) quais as condições do banco de horas para compensação das horas decorrentes do afastamento do trabalho?
9) quais os termos do acordo individual submetido à assinatura dos trabalhadores para afastamento e/ou gozo de férias?
10) foi detectado algum trabalhador ou familiar com suspeita e/ou contaminação pelo CoVid-19?
11) quantos trabalhadores portadores de doenças crônicas (diabetes, hipertensão, cardiopatias e outras), além das trabalhadoras grávidas, foram afastados do trabalho, sem prejuízo da remuneração?
12) estão asseguradas as condições e instrumentos de trabalho bem como o acesso aos sistemas aos trabalhadores em home office?
13) os instrumentos e equipamentos de trabalho (headset, microfone, mouse e outros) foram individualizados a cada trabalhador?
14) está assegurada higienização frequente com álcool gel, pelo menos a cada 3 (três) horas, nas PA’s e demais locais de trabalho?
15) quais medidas tomadas a fim de evitar aglomerações nas áreas comuns de acesso, de descanso e convivência nos sites?
16) quais medidas foram tomadas afim de garantir a plena assistência medica, social e de segurança, em todos os turnos, através do ambulatório médico e/ou do SESMT?
17) que benefícios e/ou vencimentos serão subtraídos da remuneração dos trabalhadores afastados e/ou em gozo de férias?

SINTTEL DENUNCIOU A TELEPERFORMANCE AO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

Dado o caráter genérico da resposta da Teleperformance aos questionamentos acima, no início de abril o Sinttel recorreu ao Ministério Público do Trabalho que, por sua vez, ainda não deferiu nenhum pronunciamento acerca da solicitação do Sinttel, para dentre outros, fiscalizar os sites da Teleperformance quanto ao combate ao coronavirus.

SINTTEL AJUIZOU AÇÃO CONTRA A TELEPERFORMANCE

Por toda essa morosidade sem fim, no início deste mês o Sinttel ajuizou uma ação na Justiça do Trabalho (RT 0000234-45.2020.5.21.0042), inclusive com pedido de liminar, para que seja realizada uma nova fiscalização nos sites da Teleperformance. Infelizmente a liminar foi negada pelo Juiz e o Sinttel imediatamente recorreu.

Enfim, por esse relato das medidas tomadas pelo Sinttel, desde o início do mês de março, pode-se observar o grau de dificuldade que se enfrenta, em todas as esferas, quando o assunto é defender os interesses e a saúde dos trabalhadores. É preciso firmeza e determinação do sindicato e dos trabalhadores.

SE PROTEJA DO CORONAVIRUS, DENUNCIE AO SINTTEL

Os trabalhadores devem observar o que a Teleperformance e todas as demais empresas da categoria estão fazendo quanto a prevenção da COVID-19 e informar ao Sinttel para que providências sejam tomadas. Se proteja e denuncie, através dos telefones (084) 98786-3080 (Natal) e (084) 98726-9311 (Mossoró).

Deixe uma resposta

Comentário
Nome*
Email*
Website*