Notícias

Nos últimos dois anos, a experiência de negociar com a Brisanet os termos e condições para celebração e/ou renovação de Acordos Coletivos de Trabalho foram sempre conflituosas e difíceis, tendo sido necessário, em todas as ocasiões, envolver a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego para mediar conflitos e concluir negociações.

As negociações deste ano começaram seguindo o mesmíssimo roteiro. Para conseguir dar início às reuniões com a empresa foi necessária a realização de atos e manifestações nas portarias da empresa em Natal e em Mossoró e, mais uma vez, acionar a SRTE.

Uma reunião, enfim, ocorreu no dia 30 de outubro passado, em Fortaleza, e contou com a participação dos sindicatos do Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco. Toda a mobilização dos trabalhadores surtiu efeito e, após um longo dia de muitos debates, uma proposta foi negociada e será avaliada pelos trabalhadores em assembleias da categoria.

Confira a proposta na íntegra:
* Reajuste de 5% nos salários, auxílio alimentação e auxílio ao dependente portador de necessidades especiais, a partir de 1º de novembro de 2019
* Piso salarial fixado em R$ 1.065,75 a partir de 1º de novembro de 2019
* Fixação de piso salarial para Instalador II no valor de R$ 1.200,00 a partir de 1º de novembro de 2019
* Banco de horas com limite máximo de 3 meses para compensação de horas extraordinárias
* Pagamento de PPR para o exercício de 2019 em fevereiro de 2020 tendo como indicador a quantidade de clientes adicionada à base

Na avaliação de Junior Bezerra, que representou o Sinttel/RN nesta negociação, o reajuste nos salários e benefícios acima da inflação acumulada no período é bastante positivo, especialmente, em um cenário tão difícil que o dos trabalhadores tem experimentado nos últimos anos com a retração econômica e as reformas trabalhista e previdenciária.

Cabe, agora, ao conjunto dos trabalhadores da empresa decidirem sobre as propostas negociadas. As assembleias serão realizadas no dia 12/11 em São Gonçalo do Amarante e no dia 14/11 em Mossoró. Clique aqui e veja o edital.

Na oportunidade será, também, discutida a proposta de uma contribuição assistencial extraordinária. No entendimento da entidade, é necessário que a categoria contribua para o custeio das atividades sindicais, especialmente as atividades da campanha salarial, em razão da alteração normativa introduzida com a reforma trabalhista, que retirou a obrigatoriedade da contribuição sindical.

Deixe uma resposta

Comentário
Nome*
Email*
Website*