Sinttel/RN discute problemas com Global

Notícias

globalNo dia 10 de outubro passado, a Global comunicou formalmente ao Sinttel/RN que fará as adequações necessárias na organização do horário de trabalho dos operadores que tem sua jornada de 36 horas semanais distribuídas de segunda à sexta, de modo que seja assegurada a concessão das duas pausas de 10 (dez) minutos previstas no Anexo II da Norma Regulamentadora 17. Esse foi um dos assuntos discutidos em reunião recentemente realizada entre o Sinttel/RN e representantes da empresa.

Na oportunidade o Sinttel também cobrou da empresa solução quanto aos problemas observados no sistema de controle de frequência, especialmente nos apontamentos relativos ao banco de horas, que acabam por gerar débitos indevidos de horas e atrasar por mais de dois meses a conferência e assinatura dos espelhos de ponto pelos trabalhadores. A empresa reconheceu como “pontuais” as falhas e se comprometeu em regularizar esse procedimento o mais brevemente possível.

As reclamações dos operadores com mobiliário e equipamentos também foram destacados pelo Sinttel. A empresa assegurou que reformou/consertou e mantem em estoque cadeiras e headsets para substituição daqueles que eventualmente estejam danificados, bastando ao operador procurar o seu supervisor.

Por fim, a empresa respondeu aos vários questionamentos levados ao Sinttel em razão da alteração nos critérios para pagamento da remuneração variável. Segundo a gerência, a empresa procurou adequar o seu modelo às condições praticadas nas demais empresas do mercado, inserindo uma meta do tipo “gatilho”, cujo atingimento é condicionante para o pagamento do valor do comissionamento. Caso o gatilho não seja atingido, a variável é paga em condições bem mais inferiores. Além do gatilho, o valor da remuneração variável ainda é impactado pela posição relativa da empresa quando do fechamento mensal da produção.

No entender do Sinttel, o trabalhador não deve ter sua remuneração variável impactada por condições que não decorrem de seu próprio trabalho e esforço. Um programa de comissionamento justo e eficaz deve ter o objetivo de motivar o trabalhador, recompensando sua contribuição na exata medida dos resultados produzidos. As regras do programa, ainda que não sejam discutidas ou negociadas com a entidade sindical, devem ser claras e previamente comunicadas aos trabalhadores. É urgente que a Global volte a reunir seus trabalhadores para sanar todas as dúvidas quanto ao modelo adotado. Uma nova reunião será agendada para acompanhar todas estas demandas.

Tags: 

Deixe uma resposta

Comentário
Nome*
Email*
Website*