Notícias

Até o momento, apesar de todos os esforços dos Sindicatos em várias reuniões de negociação já realizadas com o Sinstal e as empresas de teleatendimento Teleperformance, Atento, LIQ (ex Contax) e Alma Viva, não foi ainda apresentada uma proposta para pagamento do PPR de 2017. Esse enorme atraso não se justifica de modo algum. Afinal, as empresas não estão de pires na mão, muito pelo contrário. Até o momento, apesar de todos os esforços dos Sindicatos em várias reuniões de negociação já realizadas com o Sinstal e as empresas de teleatendimento Teleperformance, Atento, LIQ (ex Contax) e Alma Viva, não foi ainda apresentada uma proposta para pagamento do PPR de 2017. Esse enorme atraso não se justifica de modo algum. Afinal, as empresas não estão de pires na mão, muito pelo contrário.

No último dia 20 de fevereiro os Sintteis fizeram uma contraproposta às empresas, confira:

• Para o PPR de 2017, uma vez que o ano já se foi: utilizar os mesmos indicadores e critérios adotados para o PPR de 2016 e prêmio de, no mínimo um salário mínimo, para todos os trabalhadores.

• Para o PPR de 2018: Começar de imediato a negociação de um modelo único de aferição, tendo como indicadores o EBITDA (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e o absenteísmo. Entendemos, contudo, que o EBITDA não pode funcionar como gatilho, condicionando totalmente o pagamento do PPR. Além disso, a apuração do absenteísmo deve desconsiderar as licenças maternidade, afastamento por acidente do trabalho e por doenças, além das ausências justificas, conforme a Convenção Coletiva, como casamento, falecimento de cônjuges e dependentes e acompanhamento de filhos em internação, por exemplo.

DIA 13, PRAZO LIMITE

As empresas ficaram de analisar o pleito dos sindicatos e nova reunião foi agendada para o próximo dia 13 de março. Esse é o prazo limite para as empresas, enfim, apresentarem uma proposta para o PPR de 2017.  Caso isso não aconteça, não restará outra alternativa aos trabalhadores a não ser o caminho da luta. Com a palavra as empresas de teleatendimento – no caso do RN, a Teleperformance…

MENOS DO QUE UM SALÁRIO MÍNIMO É UMA VERGONHA! PAGAMENTO JÁ!

Os Sintteis e a Fenattel entendem que, independentemente da jornada de trabalho, ninguém deve ganhar menos do que o salário mínimo nacional, assim como também entendem que o piso salarial dos teleoperadores não deve ser inferior a R$ 1.200,00.

Em reunião realizada com o Sinstal – sindicato patronal que representa as principais empresas de teleatendimento, tais como a Teleperformance, Atento, LIQ (ex Contax), Alma Viva e outras, a Fenattel cobrou, em nome dos seus Sintteis dos estados do RN, PE, CE, BA, AL, RJ, SP, ES, SC, AC e PR (locais onde existem call centers), o pagamento do novo salário de R$ 954,00, retroativamente ao mês de janeiro – Isso é obrigação!

As empresas que ainda tem trabalhadores ganhando menos do que o salário mínimo nacional se comprometeram em responder aos sindicatos na próxima reunião agendada para o próximo dia 13 de março, em São Paulo. Aguardem novas informações.

Deixe uma resposta

Comentário
Nome*
Email*
Website*